Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Retratos de Mim

Retratos de Mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

A Blogger

02
Mai17

Chegaram as "Vacances"


A Ribatejana

 

 

 

 

 

 

547257_10151051450233530_1046574970_n.jpg

 Hoje apeteceu-me falar das férias de verão da minha infância,les vacances como dizia, hoje apetece-me relembrar as viagens de carro intermináveis e quentes, aqueles dias enjoados misturados com cheiros de gasolina e eucalipto, que a minha mãe colocava da parte de trás de carro, de tal forma que continuo a não suportar este cheiro,tão reputado como purificador de ambientes. Recordo-me do cansaço sem fim de duas meninas, que tentavam brincar durante a viagem, lembro-me que a mais velhinha tinha o hábito de dormir no colo da mais pequena, e que esta instintivamente maternal, a aceitava sem demonstrar fadiga. Por vezes pernoitávamos em pequenos hotéis fronteiriços na terra dos nossos hermanos, e como era bom poder repousar o corpo dorido sobre uns lençóis lavados, como era bom sentir de madrugada, o cheiro a pão e a café com leite. Sinto em mim as lembranças das chegadas a Portugal, quando a minha mãe já cansada, mas muito preocupada connosco nos dizia "Olhem filhas! Já chegamos, já estamos no nosso país" mas nessa altura já nada mais me importava, pois o meu corpo, a minha mente, estavam de tal forma exaustos, que permanecia, quieta, calada e semi-adormecida, contudo nem todas as crianças eram como nós, pois recordo perfeitamente as fronteiras plenas de emigrantes, que se sentavam alegremente com os filhos, nas raras sombras que conseguiam encontrar, e ali faziam os seus banquetes de pão, água e carnes frias, enquanto os miúdos corriam alegremente livres, após terem passado horas aprisionados num carro. Recordo-me de finalmente chegar à terra dos meus pais,e de recuperar forças após um dia ou dois a dormitar, lembro-me ainda de adorar as brincadeiras noturnos, no bairro onde viviam os meus avós maternos, como era bom sentir-me tal um passarinho, que podia esvoaçar livremente sem amarras, e tudo isto porque em França a pedofilia e o rapto de crianças, já eram realidades constantes nos anos setenta e oitenta, no entanto e melhor do que tudo, eram as férias no Algarve, aquelas semanas que passávamos na praia verde, onde todos juntos, pais, tios e primos, nos juntávamos num parque de campismo, e vivíamos plenamente aqueles dias dourados de sol, sal e mar.

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D